5 razões para você apostar nos aplicativos de varejo

Os aplicativos de varejo podem fazer com que os clientes comprem repetidamente na sua loja, transformando o consumidor ocasional em um advogado da marca e isso compensa muito aos olhos deles. Precisa de provas? Howard Schultz, CEO da Starbucks, acredita o investimento em dispositivos móveis como um dos principais motivos da alta receita de todos os tempos. O aplicativo da Starbucks cresceu 23% no ano passado, chegando aos 11 milhões de usuários.

Pense nas lojas e restaurantes que você frequenta. As probabilidades são que alguns deles, se não muitos, têm um aplicativo. E se você já usou seu aplicativo, você sabe que eles podem fazer uma experiência muito mais agradável antes e durante sua visita na loja, do início ao fim. Para começar, não há manipulação de dinheiro ou pagamento.

Você simplesmente coloca seu telefone no scanner e voila! Você comprou seu Venti Soy Latte. Ainda melhor, todo o seu perfil de cliente e recompensas estão convenientemente em um só lugar. A equipe do Himarket, uma startup especializada em comunicação para varejo, é composta por profissionais vindos da maior multinacional de snacks do mundo, tem observado um movimento interessante por parte do varejo em relação às aplicações mobile.

Está claro que os aplicativos de varejo se tornaram o cartão de fidelidade do século XXI, e quando usados corretamente, são um motor de receita explosivo e um economizador de custos para marcas de varejo. Leia este post até o final para aprender cinco razões pelas quais os aplicativos se tornaram uma parte essencial da estratégia de marketing da marca moderna e por que não é mais opcional para os varejistas terem um:

1) Pedidos e pagamentos mobile levam a mais consumo.

O varejo brasileiro começou só agora a apostar na comunicação personalizada para aumentar suas vendas e no aumento de share of wallet. Enquanto os pedidos e pagamentos móveis são um recurso de aplicativo de varejo bastante novo, eles já comprovaram seu valor. Ao iniciar o pedido em seu aplicativo que já aceita pagamento móvel, a Starbucks deu o empurrão que faltava para acelerar o desempenho. A partir do encerramento do primeiro trimestre de 2016, um enorme aumento de 21% das encomendas do primeiro trimestre de 2016 e receita de US$ 6 milhões foram atribuídos à ordem e ao pagamento móveis.

Por que o sucesso? A Starbucks eliminou o empecilho que existia na rotina de comprar seu café da manhã. Ser capaz de pedir e pagar o seu café adiantado usando o aplicativo significa evitar longas filas e espera para pagar, o que equivale a visitas mais frequentes por pura conveniência.

2) Os consumidores modernos valorizam conveniência.

Falando em conveniência, os profissionais de marketing dirão que o consumidor moderno valoriza isso em cima dos outros fatores. Qual a maneira mais fluída de oferecer conveniência aos consumidores? Através de um aplicativo. Por isso, startups como Uber e iFood encontraram tanto sucesso, e agora as marcas de varejo estão seguindo o exemplo.

Enquanto a Starbucks conseguiu um salto nos pedidos e pagamentos móveis, outros grandes nomes como o Pão de Açúcar e Extra já estão pondo em práticas seus planos de capitalizar essa tendência e garantir que não ficam para trás. Os aplicativos de varejo garantem que os usuários tenham informações relevantes em tempo real – desde ofertas para vendas, números de cartões de recompensas e até informações de pagamento.

Basicamente, os aplicativos de varejo concedem aos consumidores a capacidade de controlar toda a sua experiência de compra através do telefone.

3) Os aplicativos de varejo podem melhorar a experiência na loja física.

O investimento do gigante de varejo Walmart em mobile vem em um momento em que as lojas físicas estão lutando para se manterem relevantes em um mundo de comércio eletrônico cada vez mais dominante. O aplicativo deles permite aos clientes acessar promoções, criar listas de compras, pedir recargas e muito mais. A esperança do Walmart é que, ao aprimorar suas experiências na loja com a ajuda de seu aplicativo móvel, os consumidores optarão por fazer compras com eles, e não com concorrentes online, como a Amazon. O que é engraçado, ou não, é movimento que a Amazon, até então exclusiva online, está fazendo: abrindo lojas físicas por acreditarem que essa forma de consumo não vai acabar – na verdade eles estão confiantes em sua capacidade de criarem uma nova experiência, com base no que eles sabem de comportamento do consumidor, conhecimento esse gerado pelas compras online.

Provando o quão eles estão comprometidos com a transformação digital, Walmart tem ainda feito um trabalho com geolocalização em suas lojas para que os clientes podem fazer check-in no momento da chegada para ver informações e ofertas da loja, bem como ter encomendas prontas serem coletadas. Além disso, o recurso “Savings Catcher” permite que os usuários escaneiem o código de barras do produto para garantir o menor preço. E com o lançamento do Walmart Pay on iOs algumas semanas atrás para agilizar o processo de pagamento, é claro que o Walmart está dobrando seus investimentos em dispositivos móveis como forma de conquistar os consumidores na era digital.

4) Capacidade em personalizar programas de fidelidade e recompensas.

Outro motivo pelo qual os varejistas devem investir em aplicativos? Eles lhe concedem a capacidade de recompensar os usuários e impulsionar a conversão repetida através de recompensas tangíveis. Os consumidores estão muito mais inclinados a baixar e usar seu aplicativo se eles sabem que serão recompensados, e os aplicativos de varejo oferecem aos profissionais de marketing o poder de criar um programa de recompensas personalizado com base no usuário individual. Por exemplo, a Starbucks entrega um cupom de café gratuito para os usuários em seu aniversário.

Construir um programa de recompensas em seu aplicativo de varejo com base na frequência de compras é uma ótima maneira de incentivar os consumidores a comprarem continuamente em sua loja. Uma cadeia de saladas popular SweetGreen tem uma seção de recompensas em seu aplicativo, onde eles mostram seu progresso e quão perto você está em sua próxima recompensa. Essa tática é mais poderosa do que um cupom impresso ou um cartão de fidelidade, porque os consumidores são capazes de visualizar e entender o quão perto estão da próxima recompensa.

5) Aplicativos de varejo aumentam a eficiência de sua loja.

Ter todas as informações e recompensas de um comprador em um lugar digital não é apenas benéfico para o comprador, mas o próprio varejista. Howard Schultz disse aos analistas que pedidos e o pagamentos do celular aumentaram significativamente a eficiência da linha de frente, minimizando a espera e aqueles que foram repelidos pelas longas filas. Conceder aos compradores a capacidade de pedir através do aplicativo também significa que são necessários menos recursos na loja. Finalmente, os aplicativos móveis permitem recibos digitais, diminuindo significativamente o custo e o desperdício do papel de varejo.

O futuro do varejo.

Se o Black Friday de 2015 conseguiu indicar alguma coisa, foi que o celular está se tornando o meio ideal do dia-a-dia do consumidor para compras. No entanto, há um caminho para que as lojas físicas e o mundo digital possam coexistir. Um aplicativo móvel que aprimora a experiência na loja é uma maneira perfeita de preencher a lacuna entre o comércio eletrônico e o varejo tradicional, promovendo uma interação de loja altamente personalizada e eficiente.

Marcas como a Starbucks e a Walmart entenderam que seu modelo de negócios não estava em sintonia com essa mudança no comportamento do consumidor em relação ao celular e precisavam agir de fato. O seu senso de urgência é validado por um estudo que prevê que pagamentos pelo celular chegarão a USD 3 bilhões (NFC e SMS) até 2022, um crescimento composto anual de 33% em relação a 2016 – e está somente a 5 anos de distância! E com esse número tendendo a crescer, agora é mais claro do que nunca que, se os varejistas querem continuar a ser uma prioridade para os consumidores amanhã, eles precisam fazer do celular uma prioridade hoje.

Por isso, nós do Himarket desenvolvemos uma solução para que os varejistas podem ter um aplicativo móvel com a sua marca, onde o cliente poderá além de receber os descontos e promoções personalizadas consultar outras informações em tempo real. O histórico dos clientes é armazenado a partir da compra, usando o seu CPF. Com o histórico de compras de cada cliente, o varejista poderá criar ofertas personalizadas para cada segmento de clientes – como exemplo, aos que têm média de compras acima de um certo valor ou que compraram um determinado produto.

 

  • Compartilhar
Ivan Chagas
Ivan Chagas é o fundador da Polímatas, TEDxer, AIESECer, entusiasta por idiomas e educação e está sempre trabalhando com eventos. É motivado em fazer oportunidades significativas (mais) acessíveis para jovens e autor convidado do blog da PDVend.

Você vai se interessar também.

Escreva um comentário

Quer acesso aos conteúdos exclusivos?

Cadastre-se e receba gratuitamente artigos, novidades e dicas.