Capital de Giro e Empréstimos para Empresas: Como funciona?

Entender sobre finanças é um desafio para muitas pessoas. Se já é difícil fazer isso na sua vida pessoal, imagina então fazer isso abrindo uma nova empresa. Nesses casos, suas finanças passam a depender não somente de você, mas de toda a gestão do negócio. Entenda o que é capital de giro, como gerenciar suas finanças e saiba como obter empréstimos para empresas pode te ajudar a manter uma boa saúde financeira em seu negócio.

Capital de Giro – o que é?

Capital de Giro é, resumidamente, o dinheiro que você precisa ter para conseguir gerenciar seu negócio de forma saudável, pagando todas as contas em dia e tendo dinheiro suficiente para aceitar compras parceladas e cumprir com suas obrigações financeiras mensais.

Capital de Giro é o resultado entre o dinheiro que você tem e o que você deve, é o dinheiro necessário para realizar suas operações ao longo do tempo. Isso está relacionado ao processo de compra, venda e recebimentos, ou seja, as atividades da sua empresa. Esses recursos geralmente ficam nos estoques, contas a receber, fluxo de caixa, conta bancária, etc.

Para entender sobre isso, antes vamos explicar para você alguns conceitos importantes.

Você sabe o que é Ativo Circulante, Passivo Circulante e Capital de Giro Líquido? E como conseguir empréstimos para empresas?

Ativo Circulante

São os bens ou itens que você possui e podem ter gerar retorno financeiro em curto prazo. Alguns exemplos disso são: contas a receber, dinheiro na conta bancária, aplicações financeiras, quantia em caixa, seus clientes, estoques e mercadorias, por exemplo.

Passivo Circulante

A parte que ninguém gosta de pensar e que é ainda mais difícil de se controlar. Ou seja, as contas a pagar, salários, tributos, fornecedores, empréstimos e outras dívidas que você tiver que resolver em curto prazo.

Capital de Giro Líquido (CGL)

Enquanto o Capital de Giro se refere principalmente à operação da empresa, sem contar seu saldo positivo e empréstimos, o CGL é influenciado por todos esses recursos, em maior ou menor grau: prazos médios de estocagem, volume e custo das vendas, compras e pagamento de compras.

Para calcular seu Capital de Giro Líquido (CGL), basta subtrair o Ativo Circulante (AC) – Investimentos e o Passivo Circulante (PC) – Fonte de Recursos.

CGL = AC – PC

Capital de Giro Próprio X Capital de Giro de Terceiros

É importante buscar entender seu balanço patrimonial e fazer uma análise detalhada disso. Dessa forma, você será capaz de avaliar se seu patrimônio líquido e ativos permanentes são suficientes para bancar suas operações.

Caso você identifique que, por ora, não ter recursos próprios suficientes para ter um fluxo de caixa de positivo e um capital de giro bom, procure alternativas de obter capital de giro de terceiros. É muito comum que empresas que estão começando agora não tenham recursos suficientes, mas com uma boa gestão do negócio e das vendas, é possível reverter essa situação em poucos meses.

Você sabe como avaliar isso? Ter parceiros que ajudem nessas fases iniciais é essencial, busque empresas e conteúdos sobre abertura e gestão de negócios.

Capital de Giro: 5 dicas para ter boa saúde financeira

Planeje-se!

Defina seus objetivos de negócio, principalmente a curto e médio prazo.

Negocie!

Principalmente com fornecedores. Desenvolva uma relação forte e fiel com seus fornecedores, assim você pode negociar preço das mercadorias e prazos de entrega de uma forma mais efetiva e interessante para todas as partes.

Atenção às contas!

Cuidado com os prazos de contas a receber e contas a pagar. Isso é essencial para estabelecer prazos e limites de crédito do cliente.

Fique atento aos atrasos e faltas de pagamento. Só conte com dinheiro que já está em seu caixa, não conte com contas a receber enquanto não estiver em sua conta!

Estoque

Produto parado é dinheiro parado! Se você tiver um bom controle de estoque, principalmente usando sistemas automatizados que te ajudem nessa gestão, você poderá verificar como estão as suas vendas e pensar em estratégias de promoções para não ficar com estoque encalhado e sem capital de giro.

Empréstimo para pessoa jurídica

A política de empréstimos para pessoa jurídica não é tão diferente do empréstimo para pessoa física. Você deve saber exatamente:

  • Quanto você precisa?
  • Quanto será investido?
  • Em quais áreas e quais os objetivos desse empréstimo?

Defina a finalidade do empréstimo. Exemplos de como podem ser usados:

  • Capital de giro;
  • Aquisição de novos equipamentos;
  • Melhora da infraestrutura do local, como reformas ou compra de móveis.

Uma exigência específica de Empréstimos para Pessoa Jurídica é o Plano de Negócios. Não se esqueça de levar o seu, pois ele mostra a viabilidade financeira do seu negócio.

Não se esqueça:

Separe a vida pessoal do negócio. É muito comum empreendedores usarem recursos próprios para cobrir despesas da empresa, mas fazer isso pode acarretar em uma série de problemas e levar até mesmo à falência. Separe as coisas!

Linhas de crédito

Os principais bancos do país, tanto privados quanto públicos, possuem linhas de crédito específicas para empresas e até mesmo segmentadas por setor de atuação. Confira se já há linhas disponíveis para sua empresa e as condições.

Novas Modalidades de Empréstimos Bancários

Uma grande novidade no mercado de empréstimos para empresas são os empréstimos online e os empréstimos coletivos e costumam trazer taxas menores que as praticadas. Conheça um pouco mais sobre essas modalidades.

Crowdfunding |Empréstimo P2P

Você sabia que já é possível conseguir empréstimos vindos de pessoa física? São as chamadas modalidades “peer-to-peer” (P2P), ou, de pessoa para pessoa. Esse método permite a troca de valores financeiros sem o intermédio de bancos.

O diferencial desse tipo de empréstimo é que além de permitir a divulgação da sua empresa ao grande publico, os seus clientes atuais podem investir na sua empresa e outros investidores podem se tornar clientes.

Empréstimos online

Entre as vantagens desse tipo de empréstimo estão as taxas, menores que as do mercado, além de todo o processo ser feito de forma online.

Uma das principais empresas que tem feito esse trabalho é a Nexoos. A startup é especialista nesse tipo de negócio e tem uma série de conteúdos sobre empréstimos P2P e outras modalidades, não deixe de conferir.

Dica de Ouro: A abordagem certa faz toda a diferença!

Sabia que conseguir empréstimo depende mais da sua postura do que propriamente dos números apresentados? Ok, os números e planos de negócios são MUITO importantes, mas não adianta você chegar lá com números bons e uma postura incorreta.

  • Leve análises de mercado e de desempenho do seu negócio;
  • Prove para a instituição que sua empresa não é de risco;
  • Mantenha um bom histórico de relacionamento com as entidades financeiras;
  • Seja transparente com a instituição, leve seu balanço contábil e informações como seu fluxo de caixa, relação de ativos e passivos, etc.

Ainda tem muito mais!

Esteja sempre atento a esses fatores, pois uma administração ineficiente do capital de giro afeta drasticamente o fluxo de caixa da empresa.

Entenda cada vez mais sobre gestão de negócios, financeira e tributária.

Buscando informações sobre o assunto e buscando parceiros estratégicos, a chance de sucesso para seu negócio é muito grande!

  • Compartilhar
Danilo Colombo
Formado em publicidade e propaganda, apaixonado pelo mundo digital, startups, growth hacking e empreendedorismo. Quando não está pensando sobre negócios, gosta de passar o tempo com sua família. Atualmente é Head of Marketing da PDVend.

Você vai se interessar também.

Escreva um comentário

1 comentário

Quer acesso aos conteúdos exclusivos?

Cadastre-se e receba gratuitamente artigos, novidades e dicas.