Controle de estoque: Estratégias certeiras para reposição

Controle de estoque é um setor fundamental no manuseio de mercadorias.

Onde para muitos é sinônimo de custo, na verdade, ele é parte fundamental na gestão da empresa.

Quando bem gerenciado, dá resultados otimizados na eficiência dos recursos.

A velocidade na reposição do estoque é peça-chave para aumentar as margens de lucro, ou, simplificando: mais lucro.

É preciso otimizar o investimento com o estoque, fazer estimativas vendas, de pedido dos fornecedores e de produção.

Além disso, é preciso estar atento aos produtos que mais vendem e os que menos vendem.

Sistemas de controle são grandes aliados neste sistema, mas, claro, eles não fazem tudo sozinhos.

A qualidade da reposição depende da qualidade da entrada da informação nos sistemas e isso está diretamente ligado ao engajamento da equipe do setor.

Todos devem estar treinados e ambientados com a solução contratada.

Uma logística organizada com movimentos organizados de todos colaboradores requer tempo e muitas horas investidas em qualificação.

Porém, o reflexo de todo este trabalho será visto lá na ponta.

Controle de estoque: Fique atento aos erros

Erros acontecem e um sistema de monitoramento de estoque pode ser alimentado de forma equivocada.

Por isso ter um inventário completo e atualizado periodicamente ajuda a achar podem atrasar o fluxo das operações.

Além disso, faça backups periódicos dos dados para evitar contratempos futuros.

A velocidade neste quesito melhora a capacidade da previsão na demanda.

O motivo de uma empresa existir é garantir a satisfação do cliente: se os produtos que ele deseja estão disponíveis nas lojas, ele estará satisfeito.

Saber a quantidade exata de itens evita custos extras como manutenção de espaço de armazenagem, funcionários alocados e deslocamentos, além de gastos com energia elétrica e seguro do local (que leva em conta o tamanho físico do estabelecimento).

Tipos de reposição

Comumente, são utilizados dois tipos de reposições: contínuas ou periódicas.

Qual a melhor? Depende da estratégia do seu negócio.

A contínua visa um nível de estocagem baixo e alta rotatividade, o que aumenta custos, mas diminui os gastos com armazenagem.

A periódica planeja os pedidos de maneira determinada (por demanda), mas corre o risco de ficar sem produtos em caso de uma mudança de hábitos de consumos ou por uma ação de marketing mais envolvente que possa alavancar as vendas.

De olho em todas as possibilidades, existem algumas ferramentas completas para um controle de estoque efetivo.

Elas otimizam o tempo e aumentam o controle, para que os desafios do mercado se transformem em resultados.

Dicas para uma estratégia certeira de reposição

Separamos algumas dicas importantes para você traçar uma boa estratégia no Controle de estoque da sua loja.

Fluxo de reposição

Antes de adotar qualquer estratégia, é importante estudar bem a sua empresa e analisar todas as entradas e saídas em um período e comparar com os outros.

Isso ajuda a criar um panorama de como e onde precisam ser feitas mudanças, sejam elas imediatas ou no longo prazo.

Desta forma, a reposição deve ser realizada de acordo com a demanda e a disponibilidade dos fornecedores em cada época.

Para saber como, faça um fluxograma com o registro detalhado de tudo que entra e sai do estoque.

Em um ciclo de seis meses a um ano, é possível ter dados suficientes para o entendimento do estoque, dependendo do tipo de negócio.

O fluxograma de reposição pode ser preenchido em uma planilha física ou digital ou ainda em um software de gestão.

O mais importante é que todas as informações (nome do produto, quantidade, fornecedor, data de entrada e saída, entre outras) sejam preenchidas corretamente.

Planeje uma previsão de demanda

Com o fluxograma em mãos, é possível estimar quais produtos serão vendidos, em que quantidade e em qual época.

Fazer a previsão da demanda é algo essencial para o controle dos produtos armazenados.

Ele vai ajudar na reposição de estoque, e no entendimento do funcionamento da empresa como um todo.

Dá para entender, por exemplo, a partir de qual período uma loja de presentes deve ter mais produtos para crianças.

Inclusive, se você for a uma loja desse tipo cerca de uma ou duas semanas antes de datas especiais (Dia das Crianças ou Natal) e não encontrar o que deseja, é possível que a previsão de demanda da loja tenha sido equivocada.

O cálculo da previsão é feito com base em números reais, conforme as vendas da empresa.

Devem ser considerados não só a quantidade de saída mas também o tempo de reposição, que é o quanto demora para um fornecedor poder fazer uma nova entrega.

Por isso, não existe uma fórmula comum para prever a demanda, porque o cálculo matemático vai depender bastante da área de atuação e do tamanho do negócio.

Pode-se, no entanto, verificar no fluxograma qual é a demanda real e estabelecer uma estimativa dentro de determinado prazo.

No entanto, assim como numa pesquisa, é necessário estabelecer um estoque de segurança.

Ele serve para cobrir pequenas variações que possam existir na demanda, de acordo com a quantidade calculada inicialmente.

Diminua a quantidade de produtos no estoque

Um estoque reduzido é bem mais simples de ser controlado, oferecendo dados mais claros para comparação e com uma demanda fácil de ser prevista.

Ele ainda evita perdas com estragos e prazos de validade vencidos, exigindo menos manutenção.

O tempo em que uma mercadoria permanece no seu estoque também depende muito de sua área de atuação.

Mas com o próprio fluxograma é possível estabelecer uma quantidade mínima em que se tem uma margem de segurança, quando ela não é afetada pela demanda prevista em períodos de alta procura.

De qualquer forma, dá para ajustar o estoque de acordo com a entrada e a saída de mercadorias, de modo que seja suficiente para atender uma demanda específica.

É bom lembrar também da necessidade de se manter produtos menos vendidos e com uma lucratividade mais alta.

Esses itens costumam ser exclusivos, oferecendo uma vantagem competitiva em relação à concorrência.

Eles podem ser estocados e controlados de maneira separada e não fazem parte do Controle de estoque mínimo.

Faça avaliação de fornecedores

Só é possível ter um estoque reduzido se der para fazer a reposição em tempo hábil.

E isso só é possível com a colaboração de fornecedores confiáveis.

Eles precisam garantir a entrega dos produtos solicitados na quantidade adequada e dentro do prazo.

O problema é que, muitas vezes, o gestor acaba cedendo a negociações mais atraentes, confiando a reposição a diversos fornecedores diferentes.

Mas pode ser bem mais simples e eficiente controlar uma pequena quantidade de empresas que suprem toda a demanda da loja.

Para isso, o Controle de estoque é fundamental

Com isso, o empresário pode negociar melhores preços e prazos, dispor de ofertas e economizar bastante com frete e até no tempo de entrega.

Basta pensar que seus fornecedores querem ter com o seu negócio a mesma fidelização que você deseja ter com os seus clientes.

 

  • Compartilhar
Danilo Colombo
Formado em publicidade e propaganda, apaixonado pelo mundo digital, startups, growth hacking e empreendedorismo. Quando não está pensando sobre negócios, gosta de passar o tempo com sua família. Atualmente é Head of Marketing da PDVend.

Você vai se interessar também.

Escreva um comentário

Quer acesso aos conteúdos exclusivos?

Cadastre-se e receba gratuitamente artigos, novidades e dicas.