Custo de estoque: Como entender e controlar o valor do seu estoque físico

Custo de estoque bem definido é uma das maiores vantagens competitivas para os empreendedores no segmento de venda de produtos.

A Amazon, por exemplo, é referência de como uma boa gestão de estoque pode definir o sucesso e o posicionamento de uma marca no mercado.

O Custo de estoque pode ajudar a empresa em ter determinado sua margem de lucro e ela pode ser otimizada a partir dos produtos estocados.

Nesse artigo, vamos ajudar você a entender melhor a relação de controle do seu estoque. Confira com a gente.

Custo de estoque e a composição do seu cálculo

Quando falamos do estoque e seu custo, temos que ter em mente que o cálculo dele vai além do Custo de Mercadoria Vendida, conhecida pela sigla CMV ou da compra de matéria-prima.

As despesas com a gestão do estoque e manutenção podem ser otimizadas inclusive com ferramentas de simplificação.

Leia esse artigo no qual demos dicas importantes de como simplificar sua gestão de estoque.

Abordaremos a seguir exemplos de alguns tipos de negócios e seus respectivos custos de estoque que irão influenciar diretamente na gestão e nas decisões de sua empresa.

Categorizando cada um dos custos

Confira no infográfico abaixo, um exemplo de prático de categorias e subcategorias simplificadas para o gestor ter uma visão geral dos seus custos de estoque, resumidos em:

  • Custo do pedido ou processamento
  • Custo de manutenção ou armazenagem
  • Custo de falta

Custo de Estoque Custo de estoque bem definido é uma das maiores vantagens competitivas para os empreendedores

Custos de pedido

Também conhecido como custo de processamento ou de reposição, essa despesa ocorre cada vez que o cliente efetua o pedido.

Geralmente em subcategorias:

Custo do pedido: Considerado um custo de estoque fixo, pois são despesas que se relacionam com cobranças, gerenciamento de contas e comunicação.

Custos de logística: São relacionados ao transporte e recebimento de mercadorias. Eles são variáveis e dependem do volume e do valor do frete. Atenção, pois esse custo pode causar variações no valor unitário de produtos e consequentemente na margem de lucro.

Percebeu como não é tão simples fazer estimativa do custo de pedido e encontrar referências?

Isso acontece por conta do cálculo que pode mudar em diferentes modelos de negócios, ou seja, mesmo com empresas do mesmo setor, ele varia por conta de estratégias de produtos específicos.

Ele é influenciado pelos participantes da cadeia de valor, sobretudo, os fornecedores.

Imagine que seu fornecedor de produtos pode estar no Brasil ou fora do país e pode entregar através de frete marítimo ou carga área. Percebeu quantas variáveis podem ser adicionadas apenas nesse cálculo?

Por isso, é fundamental que você entenda o fluxo de mercadorias do seu empreendimento antes de efetuar todos os cálculos de custos.

Custos de manutenção

Custo de manutenção é importante, pois é todo aquele calculado a partir do estoque parado.

Ele não considera os produtos que estão no fluxo e se concentra apenas no estático. A partir dele, há mais 4 subcategorias:

Custo de capital: Inclui tudo que se relaciona aos investimentos de capital, até o econômico nas variáveis de inflação. Dependendo do modelo de negócio, seu cálculo pode ser complexo.

Custo de armazenagem: Inclui o custo do estoque em relação ao espaço físico como o aluguel do local, mais os custos variáveis de energia, água e impostos da propriedade.

Custo de serviços: Inclui todos o serviço do espaço como: Segurança, Tecnologia da Informação, Recursos Humanos, Gerenciamento e Manutenção. Controle de estoque e giro de estoque também entram nessa subcategoria.

Custo de riscos: Cobrem o risco de perda de produtos que ficam armazenados e perdem valor como os perecíveis. Extravio e obsolescência também se enquadram aqui.

Dicas de fórmulas e cálculo para custos de estoque

Geralmente, na avaliação de especialistas, o custo de manutenção do estoque varia de 18 a 75% do total.

Uma forma rápida de cálculo consiste em adicionar 20% à taxa de juros de empréstimos no período.

Por exemplo: Se ela está a 10% mensal, os custos seriam 10% + 20% = 30%.

Também pode ser considerada uma média praticada normalmente entre as categorias, que são”

  • Custo de capital: 15%
  • Custo de armazenagem: 2%
  • Custo de serviço: 2%
  • Custo de riscos: 6%

Custos de falta

Finalizando e chegando a uma visão completa dos Custos de estoque, o custo de falta também é relevante.

Essas despesas ocorrem mediante a falta de itens após o pedido do cliente.

No varejo, essa despesa pode incluir envios emergenciais, mudanças de fornecedores ou substituição de mercadorias.

Dica final

Viu como é importante todas as incursões no quesito Custo de estoque?

Isso é fundamental para que você conheça sua margem de lucro e, a partir daí, trace sua estratégia de venda corretamente.

Além dos cálculos acima, você pode utilizar de sistemas de gestão como a PDVend.

Uma grande vantagem da PDVend, é que através do sistema, você pode simplificar o Custo de estoque, fazendo os cálculos necessários e a precificação correta dos seus produtos.

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nas suas redes sociais e fiquei ligado em nossos conteúdos diários.

  • Compartilhar
Danilo Colombo
Formado em publicidade e propaganda, apaixonado pelo mundo digital, startups, growth hacking e empreendedorismo. Quando não está pensando sobre negócios, gosta de passar o tempo com sua família. Atualmente é Head of Marketing da PDVend.

Você vai se interessar também.

Escreva um comentário

Quer acesso aos conteúdos exclusivos?

Cadastre-se e receba gratuitamente artigos, novidades e dicas.