5 passos para começar a definir preço dos produtos

Para o empresário que está começando a precificar seus produtos, são muitas as estratégias disponíveis e perguntas a responder. Afinal, o que levar em consideração na hora de definir preço de um produto?

Definir Preço – 5 passos para acertar na precificação

Qual o melhor método, o da concorrência ou do custo? Como precificar da forma correta, para evitar prejuízos e alcançar bons resultados? Aqui damos alguns passos para o empreendedor responder todas a essas dúvidas.

Passo 1: Saiba todos os custos

Para começar a definir preço dos produtos é preciso saber na ponta do lápis todos os custos envolvidos para viabilizar a produção ou a aquisição do produto.

Os principais custos podem ser fixos ou variáveis.

Custos Fixos

Os custos fixos são aqueles que existem a todo tempo, não importa a quantidade a ser produzida ou adquirida. São os custos para o estabelecimento existir, tais como luz, água, aluguel, salários dos funcionários, manutenção de equipamentos, limpeza, entre outros.

Custos Variáveis

Os custos variáveis são aqueles que variam de acordo com a demanda, de produção e vendas, tais como, matéria-prima, comissões por vendas, impostos, taxas, transporte, logística, fretes, seguros. Lembrando que quanto maior o número de vendas, maior será esse custo.

Passo 2: Escolha como quer precificar

Existem alguns métodos, bem diferentes uns dos outros, para definir preços dos produtos. Após saber tudo que é importante com relação aos custos, o próximo passo é avaliar a forma de precificar.

Mark-up

Esse método leva em consideração todos os custos fixos e variáveis e a margem de lucro. O mark-up funciona como um multiplicador, aplicado no custo final do produto ou serviço.

Para utilizar esse formato é preciso saber todos os custos e despesas (fixos, variáveis) para se produzir ou adquirir o produto, sem esquecer das cargas tributárias. Em seguida deve-se multiplicar esse valor de custo final do produto pela taxa ou margem de lucro desejada (5%, 10%, 20%, 30%…), para se chegar ao preço final de venda ao cliente.

Margem bruta ou de contribuição

O método de margem bruta ou margem de contribuição pode ser adotado para produtos de baixo valor agregado, de baixa identificação pelo cliente, produtos genéricos, por exemplo.

É um método muito usado para avaliar o volume de vendas, pois é, em outras palavras, o ganho bruto sobre as vendas. Por levar em consideração os ganhos, é o resultado do valor das vendas menos os custos e despesas variáveis.

Precificação por concorrência

Nesse método, você pode definir preço igual, um pouco acima ou abaixo do preço praticado pela média da concorrência ou ainda pelo concorrente direto do mesmo setor ou segmento.

Esse método para se manter competitivo é bom para ser aplicado a produtos de:

  • Alto giro;
  • Alta identificação (aqueles que os clientes já sabem o preço “de cabeça”);
  • Compra por impulso;
  • Produtos que sofrem com a sazonalidade;
  • Produtos alimentícios de alto valor agregado.

Por demanda ou valor

Por demanda ou valor é outro método de precificar principalmente aqueles produtos mais difíceis de encontrar ou com alto valor agregado, ou seja, aqueles em que o cliente tem forte identificação de valor e está disposto a pagar (valor percebido por ele).

Leva em consideração outros fatores intangíveis tais como autenticidade, qualidade, confiança, diferenciais e atendimento da marca.

Passo 3: Defina o quanto de lucro e o preço de venda

Escolhido o método de precificação é preciso definir o quanto se almeja de lucro em cada venda, considerando todos as necessidades de sobrevivência do negócio e da boa percepção de valor pelo cliente. Em seguida, é possível chegar ao preço final de venda para o cliente, com atenção para a realidade do seu segmento e mercado.

Passo 4: Dê uma olhada no mercado

Falando em mercado, esse passo é justamente para alinhar o que você definiu até aqui com a realidade do seu segmento, só por segurança. Olhe atentamente para a pesquisa de mercado para checar se seu preço está competitivo, ou se está “fora da curva” e muito alto.

Aqui, antes de colocar os produtos na prateleira e começar a vender, é possível ainda fazer ajustes.

Passo 5: Avaliação e melhoria contínua

A definição do preço do produto é uma estratégia muito importante para a saúde do negócio, não se trata apenas de obter lucro, como se pode perceber.

O mais importante após definir o preço final de venda é realizar avaliações dos resultados obtidos e continuar a estudar para precificar corretamente e de forma que mantenha a empresa competitiva, sem deixar descontente seus clientes.

Um desafio, concorda?

Pode-se utilizar vários métodos de precificação se a empresa vender muitos produtos diferentes e a públicos diversos. O importante nessa equação é ter mais resultados positivos e bom relacionamento com os clientes. Tudo isso sempre alinhado à estratégia de marketing (mix de marketing – produto, preço, praça, promoção) da empresa.

A boa notícia é que o empresário pode mudar sua estratégia para se posicionar diante da concorrência e corrigir erros sempre que precisar. É um processo dinâmico e de curto prazo.

Para melhorar ainda essas atividades, é essencial ter a tecnologia como ferramenta de obtenção, registro, pesquisa e análise de dados.

Até as próximas dicas da PDVend!

  • Compartilhar
Danilo Colombo
Formado em publicidade e propaganda, apaixonado pelo mundo digital, startups, growth hacking e empreendedorismo. Quando não está pensando sobre negócios, gosta de passar o tempo com sua família. Atualmente é Head of Marketing da PDVend.

Você vai se interessar também.

Escreva um comentário

Quer acesso aos conteúdos exclusivos?

Cadastre-se e receba gratuitamente artigos, novidades e dicas.