Como fazer uma escala de trabalho na prática?

Desde que Henry Ford (1863 – 1947) criou a linha de produção, se confirmou a necessidade de haver um controle de funcionários e escala de trabalho. Com a evolução dos sindicatos trabalhistas e a luta por mais direitos sendo reconhecida, boa parte das categorias de trabalho já possuem escalas pré-definidas e horários mais flexíveis. E também graças a negociações entre sindicatos e empresas, ambos os lados possuem direitos e deveres.

Quando se está montando um negócio, é importante saber quais modelos de escala de trabalho são aceitos. Já que eles podem variar dependendo do tipo de trabalho realizado. Sabendo disso, criamos esse post para auxiliá-lo a fazer uma escala de trabalho na prática. É importante mencionar que em todos os casos a jornada semanal deverá ser de até 44 horas. Continue lendo e confira os modelos que existem!

Escala 5×1

Na escala de trabalho 5×1 os funcionários devem trabalhar por cinco dias sequenciais. Eles devem receber uma folga no sexto dia. Trabalhar aos finais de semana e feriados é comum nessa modalidade. De acordo com a CLT, a folga aos domingos para colaboradores do sexo masculino deve ser dada pelo menos uma vez a cada sete semanas. Já no caso das mulheres, elas devem ganhar folga aos domingos a cada 15 dias.

Escala 5×2

Nesse tipo de escala o trabalhador tem direito a dois dias de folga a cada cinco dias de serviço. Esses dias podem ser consecutivos ou intervalados. É um dos modelos de escala mais comuns e mais facilmente encontrados em empresas atualmente. Nesse tipo de escala, trabalhos realizados em domingos e feriados devem ser pagos em dobro caso ocorram. Não deve haver prejuízo da remuneração referente ao descanso semanal.

Escala 6×1

No caso do tipo de escala 6×1, será um dia de descanso para cada seis trabalhados. É possível que ocorram variações no cumprimento da jornada de trabalho. Isso ocorre desde que exista algum tipo de acordo coletivo ou sindical. Para o caso do funcionário trabalhar nos finais de semana, a empresa é obrigada a conceder um domingo de folga a cada sete semanas, no máximo, assim como na escala 5×1. E, assim como na escala 5×2, domingos e feriados trabalhados não compensados devem ser pagos em dobro. Tudo sem prejuízo da remuneração referente ao descanso semanal.

Escala 12×36

É bem comum para profissionais da área de saúde e segurança. Os colaboradores que fazem uso desse tipo de escala trabalham por 12 horas e tem folga após 36 horas de serviço. Nesse caso também existe uma mudança de turno de forma a totalizar as 36 horas. Por exemplo: se o funcionário entrar no serviço às 09h30 e sair às 21h30, ele folgará um dia e retornará no mesmo turno no dia seguinte, de forma a totalizar 36 horas. Outro ponto a observar é o pagamento de horas extras após a oitava hora de trabalho, que dependerá da decisão aprovada em cada sindicato e acordos.

Escala 18×36

Similar ao modelo 12×36, a cada dezoito horas de serviço o funcionário terá direito a trinta e seis horas consecutivas. Esse modelo de escala de trabalho não está previsto em legislação. Mas pode ser negociado entre cada sindicato e empresas.

Escala 24×48

Muito utilizada por órgãos do exército e polícia. Esse modelo de escala o trabalhador trabalha por 24 horas ininterruptas e tem direito a dois dias de folga, ou seja, 48 horas.

Qual a escala de trabalho ideal?

Agora que você já conhece os tipos de escala, é importante saber montar um plano de trabalho de acordo com a CLT. Para isso, veja o Capítulo II da consolidação das leis de trabalho, que diz respeito às normas de trabalho e descanso.

Além disso, confira também a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e os Acordos Coletivos de Trabalho (ACT), que podem variar de acordo com o ramo de negócio da sua empresa. Importante também dizer que o tempo entre jornadas nunca deve ser inferior a 11 horas. E, conforme falamos, não deve ultrapassar 44 horas.

O mais importante é montar uma rotina de trabalho de forma a manter a produtividade da equipe. Uma vez que é essencial que seus colaboradores estejam descansados tanto física quanto mentalmente. De nada adianta manter sua sala e equipamentos a todo vapor com funcionários desmotivados.

Oferecer momentos de descontração durante a jornada é uma forma de oferecer um “respiro” para seu funcionário, como momentos de ginástica laboral. Eficiência é uma palavra que deve ser tida em alta conta na hora de selecionar a melhor escala de trabalho.

Esperamos que com essas dicas você faça a escolha ideal de escala para o seu time de acordo com a necessidade do seu negócio! Agora que você já sabe quais os tipos de escala, deixe seu comentário. E não deixe de compartilhar esse post nas redes sociais!

  • Compartilhar
Anna Bella Bernardes
Jornalista formada pela PUC Minas e pós-graduada em comunicação e marketing pela Universidade de São Paulo. Com 7 anos de experiência na área de comunicação, desde 2015 atua com marketing de conteúdo, SEO e inbound marketing.

Você vai se interessar também.

Escreva um comentário

Quer acesso aos conteúdos exclusivos?

Cadastre-se e receba gratuitamente artigos, novidades e dicas.