POS x TEF – Tudo o que você precisa saber sobre esses dois sistemas

Atualmente, o varejista que quer ter sucesso precisa aceitar pagamento em cartão de débito ou de crédito. Para isso, é necessário contar com um tipo de tecnologia para leitura e transmissão de dados financeiros. Dentre elas, as mais comuns são o POS (Point of Sale, ou “ponto de venda”) e o TEF (Transferência Eletrônica de Fundos). Essas são as tecnologias mais utilizadas para a leitura e a transmissão dos dados financeiros, mas ainda existem muitas dúvidas acerca do tema.

Por isso, vamos listar as principais diferenças entre os dois sistemas, falar quais são as vantagens e desvantagens de cada um e explicar como escolher o ideal para a sua empresa. Confira abaixo! 

O que é POS

O POS é a famosa maquininha de cartão sem fio. Elas são práticas por poderem ser levadas para vários lugares, mas é preciso tomar alguns cuidados. 

Cada máquina portátil funciona por uma rede de adquirência (Cielo, Getnet, Rede, Stone etc.), portanto, para trabalhar com várias redes é necessário ter mais de um POS em seu estabelecimento.  Além disso, realizar a conciliação das vendas pode demorar, se a empresa fizer isso manualmente. Outro ponto é que as máquinas precisam estar conectadas à internet para as transações serem possíveis. 

Em geral, essa tecnologia é mais utilizada pelas empresas menores devido à sua facilidade de operação e de sua conveniência, além de ter um preço mais baixo.

Vantagens e desvantagens do POS

Como principal vantagem está o valor das mensalidades, que é bastante atrativo quando comparado ao TEF. Além disso, trata-se de um sistema intuitivo e fácil de manusear. 

O grande diferencial desse sistema é a mobilidade. A máquina pode ser levada até o cliente em qualquer lugar, e o recibo é impresso na própria maquininha. Como não é conectada a fios, ela acaba proporcionando mais agilidade ao processo de venda. 

Em relação às desvantagens, como já mencionamos, a máquina tem o inconveniente de só funcionar conectada a uma adquirente, o que faz com que a empresa seja obrigada a contratar uma POS de cada instituição financeira. 

Além disso, há mais esforço manual envolvido, pois é preciso fechar as vendas conferindo comprovante por comprovante de cada transação realizada na máquina, gastando um tempo precioso. 

Outro problema é que, por não ser integrado a um sistema de automação, não é possível fazer a conciliação das vendas, o que dificulta o controle do varejista. 

O que é TEF

O TEF é outra tecnologia que permite a operação com cartões de crédito ou débito, mas, diferentemente do POS, não é portátil, mas fixado ao caixa da loja.

O TEF é multiadquirente, e permite que o varejista aceite várias bandeiras de cartões em uma só máquina. O sistema captura as transações feitas via cartão,  e as envia para as redes pela internet e, por ser integrado a um sistema de automações, ele facilita a conciliação de vendas e o controle financeiro. 

Vantagens e desvantagens do TEF

O TEF é um sistema mais econômico do que o POS, uma vez que o varejista consegue aceitar diversas bandeiras diferentes com a mesma maquininha. Isso faz com que seja o sistema mais adequado para empresas que contam com vários caixas e aceitam vários cartões.

Outra grande vantagem é que o sistema automatizado facilita a conciliação de vendas, liberando o varejista da necessidade de guardar todos os comprovantes e conferir um a um.  

Por outro lado, o TEF tem algumas desvantagens, como a falta de mobilidade das máquinas (por serem fixadas e não portáteis) e o fato de requerer uma conexão com a internet. Além disso, esse sistema também requer a contratação de fornecedores: o varejista precisa contratar um software de TEF, ter um pinpad, contar com assistência técnica, dentre outras questões que encarecem e dificultam o processo. 

POS e TEF: qual é o sistema ideal?

A resposta para essa pergunta depende da necessidade da sua empresa. Há vários fatores que devem ser levados em conta na hora de escolher o sistema que melhor se adéqua à sua realidade.  

É necessário considerar, por exemplo, se você pretende trabalhar com entregar em domicílio e qual é a porcentagem estimada das vendas realizadas via cartão de crédito ou débito.  

Se a mobilidade for um pré-requisito (no caso de delivery, por exemplo), o mais indicado seria optar pelo POS. O mesmo se aplica caso sua empresa seja pequena e se você precisa de uma solução fácil de operar.

Caso o percentual das vendas por cartão sejam muito altas, excedendo os  75%, a melhor solução seria o TEF combinado com um bom sistema de conciliação de cartão, já que os pagamentos feitos em TEF agilizam a operação do caixa. 

Além disso, nesse sistema a conciliação das vendas também é mais fácil, o que acaba economizando tempo, já que não é necessário ficar conferindo diversos comprovantes e comparando com os valores registrados. Com as máquinas TEF, é possível gerenciar transações, levantar dados e melhorar o processo de tomada de decisão. 

Como você pode ver, a resposta sobre o sistema ideal é: depende! É preciso analisar caso a caso e tomar a decisão com base na situação atual de sua empresa. O importante é tentar oferecer a maior gama de opções de pagamento possíveis ao seu consumidor.

  • Compartilhar
Danilo Colombo
Formado em publicidade e propaganda, apaixonado pelo mundo digital, startups, growth hacking e empreendedorismo. Quando não está pensando sobre negócios, gosta de passar o tempo com sua família. Atualmente é Head of Marketing da PDVend.

Você vai se interessar também.

Escreva um comentário

Quer acesso aos conteúdos exclusivos?

Cadastre-se e receba gratuitamente artigos, novidades e dicas.